Rapsódia em Azul by Sofia Areal, 2014 (pt)

RAPSÓDIA EM AZUL

Azul como o céu, azul como o mar, azul como o número sete. Se no meu trabalho as são como palavras que se conjugam num texto escrito que o faço pintado ou desenhado, aos números vejo-os sempre com cores bem definidas: amarelo o dois, vermelho o quarto, azul o sete.

Sei a importância das galerias, que temerariamente teimam em existir fora de Lisboa ou do Porto, um trabalho didático, tal como num museu, na divulgação dos artistas que aí expõem.

Tendo presente estes factores; nesta primeira exposição individual, na Galeria Sete, em Coimbra – conheço-a desde o seu nascimento e nela tenho participado em diversas exposições colectivas – reuni uma “rapsódia” de pinturas e desenhos realizados nos últimos três anos, uma aproximação mais lata do meu trabalho que poderá ser vista no piso central da galeria – com vista para o azul – o número sete da rua aonde habita.

Sofia Areal | Lisboa, 2 de Fevereiro 2014

FacebookTwitterGoogle+PinterestTumblrLinkedIn